Produtores de queijos artesanais pleiteiam lei nacional para o setor

Publicado em: 11/10/2017

Produtores querem legislação para comercializar queijos artesanais além dos locais de produçãoProdutores querem legislação para comercializar queijos artesanais além dos locais de produção

 

Parnamirim – Produtores de queijos artesanais de nove estados brasileiros e as principais entidades representativas do setor da pecuária leiteira estão reunidos no Rio Grande do Norte para chamar a atenção da necessidade de uma legislação nacional específica para os queijos regionais feitos artesanalmente. Eles participam da Exposição de Queijos Artesanais do Brasil, no Espaço Terroir do Sebrae, montado na 55ª Festa do Boi, que está sendo realizada no Parque Aristófanes Fernandes, em Parnamirim (RN). A exposição reúne queijarias dos principais polos queijeiros do país, incluindo Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul e os estados do Nordeste, com exceção de Alagoas, Piauí e Maranhão.

Os produtores realizaram um ato, denominado a Hora do Queijo, no último domingo (8), para cobrar a criação de uma lei que vigore nacionalmente e regulamente a atividade. O assunto voltou ao debate depois que a Vigilância Sanitária proibiu a chef Roberta Sudbrack de usar 160 quilos de queijo regional, oriundo de Pernambuco, em seu estande no Rock In Rio por falta do selo de inspeção fiscal, que assegura a comercialização do produto artesanal fora do lugar onde foi fabricado.

Um dos primeiros a manifestar preocupação com o tema e a urgência de uma lei para o setor no país foi o presidente do Sebrae Nacional, Guilherme Afif.  A instituição, em parceria com o Sebrae no Rio Grande do Norte, quer que a lei sancionada no estado sirva de referência para a redação de um texto de uma legislação nacional. Isso porque o projeto da lei potiguar foi estruturado por uma equipe de técnicos do Sebrae-RN, aprovada por unanimidade na assembleia legislativa e sancionada sem vetos pelo governador do RN, Robinson Faria.

 

 

 

ASN-Agência Sebrae de Notícias

 




Faça o seu comentário