Júri em Goianinha condena 4 réus a mais de 30 anos de prisão por mortes envolvendo o tráfico

Publicado em: 08/11/2019

Após dois dias de atividades, sessão do Tribunal do Júri realizado na comarca de Goianinha resultou na condenação de quatro pessoas a mais de 30 anos de prisão pela morte dois homens na zona rural do município, em março de 2013, motivado por um “acerto de contas” por dívidas com o tráfico de drogas.

Ao final do julgamento, Maria Eduarda dos Santos foi condenada a 36 anos e 9 meses de reclusão; José Carlos de Souza foi condenado a 34 anos e um mês de reclusão; Adriana Helena de Souza Machado foi condenada a 32 anos e um mês de reclusão; e Antônio Pedro da Silva de Carvalho foi condenado a 31 anos e 9 meses de reclusão.

Eles foram julgados pelos homicídios qualificados de José Costa de Lima Júnior e de Manoel Gomes Teixeira Neto, além da prática dos crimes de associação criminosa e de furto qualificado.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Estadual, as vítimas foram mortas no dia 2 de março de 2013, por volta das 23h, em uma estrada carroçável localizada no sítio Fava Seca, situado próximo à divisa entre os municípios de Espírito Santo e Goianinha.

O caso

Segundo a denúncia do MP, José Carlos e Antônio Pedro se associaram e chefiavam uma quadrilha, formada ainda por Adriana Helena e Maria Eduarda, para o comércio ilegal de drogas e outros crimes. De acordo com o MP, quem não quitava a dívida era executado.

A Denúncia relata que a vítima José Costa Júnior tinha uma grande dívida com a quadrilha, razão pela qual decidiram que deveria ser morto. Assim, José Carlos determinou que Adriana e Maria Eduarda fossem à cidade de Espírito Santo para matar a vítima.

Naquela data, em um bar em Espírito Santo, Adriana Helena e Maria Eduarda convidaram as duas vítimas para beberem com elas em sua mesa, convidando-os, posteriormente, para dar uma volta. 

 

Por: Robson Pires

 




Faça o seu comentário