Hepatites Virais: RN apresenta redução neste ano; veja concentração de casos no estado

Publicado em: 28/07/2020

   Sesap divulga boletim das Hepatites Virais no RN. Foto: Reprodução

 

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio do Programa Estadual de IST, AIDS e Hepatites Virais, divulgou nesta terça-feira (28), por ocasião do Dia Mundial de Luta Contra Hepatites Virais, o Boletim Epidemiológico com o cenário dos casos confirmados das Hepatites Virais A, B e C, no período de janeiro de 2009 a abril de 2020, nas oito regiões de saúde do Rio Grande do Norte (RN). Os dados foram obtidos do Sistema de Informação de Agravos Notificáveis (SINAN) e Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM).

O caderno traz ações, números e orientações sobre a doença no estado. A campanha de luta contra as hepatites virais é conhecida como Julho Amarelo. Segundo o documento, o Rio Grande do Norte, entre os anos de 2009 a 2019, apresentou 3022 casos confirmados em hepatites virais, sendo 1265 (41,9%) casos de Hepatite A, 662 (21,9%) de Hepatite B, 1075 (35,6%) de Hepatite C e 20 (0,6%). A distribuição dos casos por região de saúde de residência, mostra que 378 (12,5%) eram residentes na 1ª região de saúde, 441 (14,6%) na 2ª região, 149 (4,9%) na 3ª região, 415 (13,7%) na 4ª região, 150 (5,0%) na 5ª região, 132 (4,4%) na 6ª região, 1271 (42,1%) na 7ª região e 86 (2,8%) na 8ª região.

O município de Natal concentrou 869 (28,8%) do total de casos registrados no estado. Verificou-se uma diminuição de 47,6% no número de casos de hepatites virais, reflexo da expressiva redução no registro de casos de hepatite A no RN. Dos 233 casos de hepatites virais notificados em 2019, 05 (2,1%) eram de hepatite A, 81(34,8%) de hepatite B e 147 (63,1%) de hepatite C.

REDUÇÃO

De janeiro a abril de 2020, foram notificados 73 casos de hepatites virais, desses 59 (80,8%) eram de hepatite C e 14 (19,2%) de hepatite B. Nos últimos dez anos, todas as regiões de saúde do RN apresentaram redução nas suas taxas de incidência de hepatite A, algumas chegando a diminuir até 100%, como são os casos da 1ª, 2ª, 5ª, 6ª e 8ª regiões. Em 2019, as maiores taxas aconteceram na 3ª região (0,6 caso por 100 mil habitantes) e na 4ª região de saúde (0,3 caso por 100 mil habitantes). Dos 167 municípios, apenas 04 municípios registraram casos da doença, Pureza (10,4 casos por 100.000 habitantes), Poço Branco (6,5), Caicó (1,5) e Natal (0,2), todos com taxa de incidência superior à do estado (0,1 caso por 100.000 habitantes).

TRATAMENTO

O tratamento é oferecido gratuitamente a todos os pacientes que tem a confirmação do diagnóstico da infecção pelo vírus B (HBV) e C (HCV). No RN, atualmente, existem 133 pessoas em tratamento para hepatite B e 20 para hepatite C. O estado conta com 03 serviços de referência para o tratamento dessas doenças, sendo dois em Natal, o Hospital Giselda Trigueiro e o Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), além do Hospital Rafael Fernandes em Mossoró. Os casos de hepatite A são acompanhados na atenção primária à saúde.

 




Faça o seu comentário