Não imunizados são 74% dos internados por Covid no Brasil entre julho e setembro

Publicado em: 10/10/2021

           Foto: Joice Kroetz/Divulgação Assessoria de Imprensa HRTGB

 

Levantamento feito pelo Metrópoles, por meio de dados do Ministério da Saúde, mostra que apenas 26% dos pacientes internados com a doença no Brasil entre julho e setembro foram totalmente imunizados – tomaram duas doses ou receberam a aplicação única de vacina.

Desse total de internações registradas pelo Ministério da Saúde entre julho e setembro, 46,2% são de pacientes que não tinham tomado nenhuma dose da vacina; 25,7% tinham uma dose do imunizante.

Três em cada quatro pacientes internados no Brasil com diagnóstico positivo para Covid-19 no período, portanto, não completaram o esquema vacinal, o que é essencial para diminuir as chances de casos da doença evoluírem para a forma mais grave.

Os números vêm do banco de dados de Síndrome de Respiratória Aguda Grave (SRAG), mantido pelo Ministério da Saúde. Nesse arquivo, estão registradas todas as ocorrências de SRAG. Para a reportagem, foram mantidas apenas as informações relacionadas aos casos confirmados de Covid-19 que levaram à internação.

A base de dados tem suas limitações. Não é em todas as internações que a equipe médica consegue confirmar que a vacina foi aplicada. Casos em que a informação foi marcada como ignorada foram descartados. Também não foram utilizadas as entradas que não traziam as datas de vacinação. Isso tende a supervalorizar a quantidade de imunizados em relação ao total.

É importante ressaltar que, nos primeiros meses do ano, a maior parte da população brasileira ainda não havia tomado nenhuma dose das vacinas. O início da campanha de imunização foi organizado pela dinâmica de grupos prioritários, como idosos e profissionais da área da saúde.

Por isso, os dados do início do ano apontam que a maior parte dos internados não tinham sido vacinados, já que uma porcentagem pequena da população brasileira havia recebido um imunizante. Os dados mostram que, usando esse intervalo, a partir de janeiro, 73,23% das pessoas hospitalizadas não tinham tomado nem mesmo uma dose do fármaco.

O que diz o Ministério da Saúde

A reportagem procurou o Ministério da Saúde para verificar se o órgão implementa estratégias para incentivar os cuidados pós-vacinação e evitar hospitalizações de pacientes com Covid-19.

Também foi questionado se a pasta monitora a porcentagem de pessoas vacinadas internadas em leitos de UTI, e se o registro de imunização de pacientes hospitalizados é obrigatório nas unidades de saúde.

Em nota, o órgão informou que “reforça a importância da primeira e segunda dose para garantir a máxima proteção dos brasileiros, principalmente contra as novas variantes”.

“A pasta continua com sua campanha massiva de incentivo à imunização nacional e à importância da segunda dose e recomenda aos estados e municípios que também façam uma busca ativa da população-alvo”, divulgou a pasta.

Além disso, o Ministério da Saúde informou que cerca de 18,6 milhões de pessoas ainda não tomaram a segunda dose da vacina contra a Covid-19.

 

Metrópoles

 




Faça o seu comentário