Voo da FAB com grupo do Brasil que estava em Gaza deve sair do Egito na segunda-feira de manhã, diz Itamaraty

Publicado em: 12/11/2023

                                       Foto: Reprodução / X / Itamaraty

 

O voo da Força Aérea Brasileira (FAB) com o grupo do Brasil que estava na Faixa de Gaza deve deixar Cairo, capital do Egito, na manhã desta segunda-feira, disse o Itamaraty por meio de publicação no X (antigo Twitter). Ao todo, eram 34 pessoas: 24 brasileiros, sete palestinos com residência no país e três parentes. Duas, porém, desistiram de retornar ao Brasil e decidiram permanecer em Gaza.

“O grupo de 32 brasileiros e familiares que deixou a Faixa de Gaza na manhã de hoje iniciará, em instantes, o deslocamento para o Cairo, em veículos providenciados pela embaixada do Brasil no Egito. Os 32 concluíram satisfatoriamente os trâmites migratórios para entrada no Egito. Equipe da embaixada apoiou os trâmites de entrada dos brasileiros no Egito, e estima em seis horas o tempo do trajeto rodoviário até o Cairo, onde o grupo pernoitará hoje. O voo da FAB de repatriação para o Brasil deverá decolar da capital egípcia na manhã de segunda-feira, 13/11”, diz a postagem.

O grupo estava no posto fronteiriço de Rafah desde 8 da manhã (3h em Brasília) e cruzou a fronteira para chegar ao Egito na manhã deste domingo, afirmou o Itamaraty. O brasileiro Hasan Habbee mostrou o grupo dentro do ônibus e disse que estavam “saindo da Palestina e indo para o Egito”. Ele afirmou, ainda, que o caminho “não é muita coisa”, e que eles chegariam até o posto fronteiriço em cerca de um minuto.

— Momento muito difícil que a gente passou, mais de 35 dias — disse ele. — Rezem por nós. Bom dia, Brasil.

O Itamaraty também divulgou um vídeo gravado pelo brasileiro Hasan Rabee. Nele, o Coronel Carvalho, do Exército brasileiro, parabeniza o grupo pela “resistência”, e diz que “resgate deu certo”. O oficial afirmou, ainda, que a equipe está apenas “esperando os outros companheiros saírem da imigração”, mas pontuou que “está tudo bem”.

 

O Globo

 




Faça o seu comentário