Pandemia, queda na receita de publicidade, demissões e cortes de gastos: 2020 desmantelou ‘império’ da Globo

Publicado em: 27/12/2020

                                           Foto: reprodução

 

Maior emissora do país, a Globo sofreu com a pandemia da Covid-19 e com muitos cortes de gastos em 2020. O ano desmantelou o “império” da líder de audiência, que se viu obrigada a dispensar atores veteranos considerados prata da casa, perdeu o contrato de transmissão da Libertadores e até seu principal produto, a novela, comeu poeira da Record.

Só neste ano, a Globo dispensou grandes estrelas com imagens consolidadas como “globais”. Renato Aragão, Zeca Camargo, Miguel Falabella, José de Abreu, Antonio Fagundes, Malvino Salvador e Vera Fischer integraram a lista de nomes do elenco que perderam o emprego fixo durante a pandemia.

Além da crise do novo coronavírus, que reduziu as receitas publicitárias, a debandada de vários artistas da líder de audiência também se deve a um projeto de reformulação e corte de custos que ocorre desde 2018. O Uma Só Globo unifica cinco unidades de negócios, entre elas a Globosat e o Globoplay, e foi acelerado em 2020.

Sem conseguir manter os salários altos dos veteranos, a emissora teve que abrir mão da exclusividade de vários, adotando o modelo de contrato por obra quase que como lei nos bastidores. Tarcísio Meira e Glória Menezes, casal consagrado da teledramaturgia, deixaram a empresa após 53 anos de serviços prestados. Nelson Freitas e Stênio Garcia também foram cortados.

Futebol capenga

Em setembro, a Globo rescindiu o contrato pelos direitos de transmissão da Libertadores com a Conmebol, esperando baixar os valores que pagava e retomar o acordo por um valor menor. Entrentanto, seu blefe deu errado, e a entidade fechou com o SBT até 2022. Ainda criou um pay-per-view que conta com equipe de transmissão da Band para bater de frente com o Premiere.

A emissora de Senor Abravanel até desenterrou o programa esportivo Arena SBT e contratou Benjamin Back para comentar as partidas, além do reforço de Téo José, Mauro Beting e Emerson Sheik. Sem a principal competição de clubes da América da Sul, a Globo ficou com seu catálogo de futebol capenga e menos atraente para o mercado publicitário.

Além da Libertadores, a Globo abriu mão da Fórmula 1, tradição em sua grade desde os anos 1980, e corre risco de ficar sem a Copa do Mundo de 2022. Em junho, a emissora deixou de pagar uma parcela de US$ 90 milhões (R$ 478,8 milhões) e acionou a Fifa na Justiça suíça para renegociar o contrato por direitos de 2015 a 2022, no valor total de US$ 600 milhões (R$ 3,2 bilhões), boa parte já pagos. Por enquanto, o imbróglio está longe do fim.

Novelas prejudicadas

“Fábrica de sonhos” com novelas que costumam conquistar boa parte do Brasil, a Globo viu a pandemia interromper a gravação de suas novelas Amor de Mãe (das nove) e Salve-se Quem Puder (das sete), além de acelerar os finais de Éramos Seis (das seis) e da temporada vigente de Malhação no começo da crise sanitária, Toda Forma de Amar.

A necessidade de paralisar os trabalhos como medida de segurança também afetou as emissoras concorrentes, caso das novelas Poliana Moça –sequência de As Aventuras de Poliana–, no SBT, e Amor Sem Igual, da Record. Entrentanto, as rivais deram uma aula valiosa à líder de audiência: ter várias semanas de frente de gravação na manga.

As Aventuras de Poliana tinha seis meses de frente quando terminou de gravar a primeira fase da história protagonizada por Sophia Valverde, isso em dezembro de 2019. Após um período de férias concedido aos atores e equipe, o SBT conseguiu iniciar a produção da fase adolescente de Poliana, mas tudo foi interrompido após um mês de gravação, no final de março.

Apesar disso, As Aventuras passou muito tempo como a única novela inédita no ar na TV brasileira e foi esticada até julho, quando foi encerrada após mais de dois anos de exibição. Enquanto isso, a Globo foi obrigada a colocar as reprises de Fina Estampa (2011) e Totalmente Demais (2015) no ar já em março por ter apenas duas semanas de capítulos prontos.

Mesmo criando protocolos de segurança para a retomada dos trabalhos de Entretenimento, a emissora também comeu poeira da Record, que conseguiu retomar a exibição de capítulos inéditos de Amor Sem Igual ainda em 2020, bem antes de Amor de Mãe e Salve-se Quem Puder, que só retornarão ao ar em 2021.

Saldo

Apesar de ainda possuir uma receita bruta bilionária e fechar o ano no azul, a Globo pôde aprender em 2020 que não é tão intocável e inalcançável quanto já foi um dia. Uma lição de humildade para os próximos anos pós-pandemia.

 

Notícias da TV – UOL

 




Faça o seu comentário