Médicos vão a Brasília pedir liberação de cloroquina nas farmácias populares

Publicado em: 25/08/2020

Uma caravana de médicos de todo o país está em Brasília (DF) para pedir hidroxicloroquina nas farmácias populares e foi recebida pelo presidente Jair Bolsonaro no fim da manhã desta segunda (24). O grupo de 100 médicos de várias especialidades, todos da linha de frente do tratamento de Covid-19, decidiu apelar diretamente ao presidente da República pela liberação do remédio na rede de farmácias populares, porque os pacientes do SUS que querem usar o medicamento não estão conseguindo fazer o tratamento precoce por falta da medicação. Nem mesmo quem se dispõe a pagar encontra hidroxicloroquina à venda.

Os médicos que estão em Brasília são de todos os estados e representam cerca de 10 mil profissionais adeptos do protocolo sugerido pelo Ministério da Saúde. Todos afirmam ter reduzido drasticamente as taxas de internação e mortes entre os pacientes que tomam hidroxicloroquina em combinação com azitromicina e zinco nos primeiros cinco dias de sintomas.

Segundo eles, os pacientes são acompanhados diariamente e não há um único caso registrado de morte ou mesmo de arritmia cardíaca ou outros efeitos colaterais ocasionados pelo uso dos remédios. Apesar da campanha negativa contra a hidroxicloroquina, os médicos dizem que a demanda pelo remédio aumentou muito, porque a maior parte dos pacientes quer se tratar precocemente, mas o medicamento sumiu das farmácias. (…)

Desde março, quando surgiram os primeiros estudos com bons resultados no uso da hidroxicloroquina em pacientes na fase inicial da doença, médicos adeptos do tratamento precoce começaram a formar grupos de WhatsApp para trocar experiências. Eles também se organizaram em grupos nacionais que hoje, somados, chegam aos quase 10 mil médicos citados acima.

 

 




Faça o seu comentário